Pai, filho e sobrinho, suspeitos de participação no homicídio que tirou a vida de um jovem de 26 anos, são presos em Capinzal

A Polícia Civil cumpriu na tarde desta quarta-feira, dia 06, três mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão em Capinzal e Herval d’ Oeste. As ordens judiciais expedidas pelo Poder Judiciário da Comarca foram representadas pela polícia que investiga o homicídio contra Cristiano da Silva Ribeiro, de 26 anos, ocorrido no dia 02 de janeiro, na Rua Devino Fracaro, no Loteamento Maximiliano Toaldo.

De acordo com a delegada Fernanda Gehlen da Silva, após o crime foi dado início as investigações as quais identificaram três pessoas (pai, filho e sobrinho) como principais suspeitos do homicídio. Eles foram presos e conduzidos ao Presídio Regional de Joaçaba. A delegada revelou ainda que a investigação terá prosseguimento, com a inquirição de outras testemunhas e a realização de diligências que ainda se fazem necessárias. Participaram da operação policiais civis da comarca de Capinzal e de Joaçaba.

“Foi apurado que momentos antes da morte, ocorreu uma briga envolvendo Cristiano e um outro rapaz, que é desafeto dele, com quem já possuía intriga antiga, nesta confusão  duas pessoas acabaram feridas levemente. Em seguida o jovem fugiu, pelo que se apurou, ele foi perseguido pelos três suspeitos, sendo atacado e mortalmente ferido. O exame pericial cadavérico atestou ferimentos por arma de fogo nas duas pernas, ferimento na região cervical provocado por um instrumento perfurocortante, que seccionou as veias, artérias, ocasionando o óbito por choque hipovolêmico” contou a delegada.

Ouça:

 

CONTRAPONTO:

Na manhã desta quinta-feira, dia 07, o departamento de jornalismo da Rádio Barriga Verde ouviu em entrevista o advogado dos acusados, Valdir Mendes, de Florianópolis, que contesta algumas informações repassadas pela delegada. De acordo com Mendes, seus clientes se apresentaram espontaneamente no início da semana, na sua companhia, junta a Delegacia de Polícia Civil, onde foram ouvidos pela delegada. Para sua surpresa, foram deferidos os mandados representados pela autoridade policial e agora ele terá que retornar a Capinzal depois de uma viagem longa, para dar sequência  no processo de defesa que vai buscar o relaxamento das prisões.

Questionado sobre a efetiva participação dos seus clientes no crime, o profissional de direito não revelou detalhes, mas, sugeriu a possível participação de outros envolvidos e destacou que não há materialidade suficiente para sustentar a tese de autoria do trio que continua preso preventivamente.

Ouça:

Fonte: Rádio Barriga Verde
Foto: Polícia Civil