Família de Capinzal reclama da dificuldade em realizar a Prova de Vida na Caixa Econômica Federal

A Prova de Vida dos aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis do Poder Executivo Federal voltou a ser exigida desde o dia 1º de julho de 2021, após ter ficado suspensa desde março de 2020 como medida de proteção contra o contágio pela Covid-19.

Aqueles que não fizeram a comprovação de vida até o fim de julho de 2021 estão sendo notificados, até esta terça-feira, dia 10 de agosto, para fazê-la no prazo de 30 dias, contados do recebimento da notificação. O prazo limite para fazer a Prova de Vida é 30 de setembro de 2021 para os que não a fizeram durante o período da suspensão da exigência. A prova é exigida uma vez por ano, no mês do aniversário, conforme estabelecido na Portaria nº 244 e Instrução Normativa nº 45, ambas de 15 de junho de 2020.

Muitas famílias na região de Capinzal estão encontrando dificuldades em realizar este procedimento. Na semana que passou, a reportagem da RBV Rádios foi procurada pelos filhos do aposentado Joao Adelir Moraes, morador da rua Francisco Helt, loteamento São João, que há aproximadamente dois anos sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e está acamado.

De acordo com os filhos Jackson Moraes da Nóbrega e Jessica Aparecida de Moraes, o pagamento da aposentadoria do idoso foi bloqueado e eles não haviam conseguido sacar o benefício para saudar as despesas, inclusive com alimentação e uma cuidadora. Diante da situação foi buscado uma alternativa junto a agência local da Caixa Econômica Federal já que o idoso é acamado e não tem condições de se deslocar até a instituição financeira para provar que está vivo.

Uma alternativa é fazer uma procuração, mas, a família está encontrando dificuldades para formalizar o documento já que existes custos com o Cartório. Outra alternativa seria realizar a prova de vida através de um aplicativo, mas, após várias tentativas o processo não foi concluído já que o idoso não consegue fazer todos os gestos exigidos para o reconhecimento virtual.

Após muitas idas e vindas a família solicitou apoio da Secretaria da Saúde de Capinzal que disponibilizou uma ambulância para levar o idoso até a agência bancária onde conseguiu sacar o benefício.  Jackson revela que se sentiu humilhado em ter que deslocar seu pai doente até o banco sendo que seria muito mais fácil a agência disponibilizar um servidor para realizar o procedimento na casa das pessoas acamadas. Acrescentou que quando chegou na agência filmando o ocorrido, foi prontamente atendido sem inclusive a necessidade do seu pai desembarcar do carro da saúde, o que poderia ter sido feito antes.

Ouça: